18 de janeiro de 2011

Santo de casa não faz milagre

.
Popularidade é algo que mexe com o ego das pessoas – com algumas mais, com outras menos. Na escola, quem não se preocupou em ser aceito perante os colegas, em fazer parte da turma, em atrair a atenção da menina mais bela da classe? Na vida adulta as preocupações são outras, porém, o objetivo da maioria segue sendo o mesmo: agradar e ser aceito. Para todo puxa-saco (e conheço vários), por exemplo, isso significará lamber o chão que o chefe pisa, ser for preciso.

Quadro com imagem de Jesus Cristo
em exposição no Centro de
Pato Branco (Foto: LF Cardoso)
Prefiro não agradar tanto, mas não nego: curto esse lance de índice de popularidade. Com alguma frequência, confiro o desempenho de meus blogs no Google Analytics. Analisando as métricas dos blogs, fico sabendo de detalhes importantes, tais como a origem da audiência e o total de visitantes em determinado período.

Importo-me mais com o que o Analytics revela sobre minhas crônicas do que a respeito das "postagens jornalísticas". Em recente checagem, descobri que foram 800 acessos únicos nos últimos 30 dias – um aumento de 11% no período. Bons números para um blog que tem em média quatro atualizações por mês e um público seleto: pessoas que gostam de ler.

Da última vez, quis saber quais cidades compõem o Top 10 de visitas ao blog. Para minha surpresa, a cidade de onde venho e onde vivi até os 23 anos ficou de fora. Em outras palavras, não estou agradando meus conterrâneos. O ditado, que não “perdoou” nem Jesus, segue firme e forte nos dias de hoje: “santo de casa não faz milagre”.

Em 30 dias, tive 106 acessos únicos em Maringá, isto é, as crônicas foram lidas a partir de 106 endereços de IP (máquinas distintas) na cidade onde moro há três anos – e onde tenho mais audiência. Em segundo ficou São Paulo (103 acessos únicos), com Cascavel (47) em terceiro e Curitiba (39), em quarto.

Considerando familiares, amigos, ex-colegas de aula e de trabalho, tenho mais conhecidos em Pato Branco do que o dobro dessas quatro cidades, juntas. Contudo, Pato Branco aparece na 20ª colocação no relatório do Google. Foram apenas seis acessos únicos em 30 dias, 20 a menos do que Lima, capital do Peru, onde meus amigos não passam de meia dúzia.

Dizem que a bíblia tem explição para tudo. Verdade ou exagero, sei que para esse caso as escrituras me serviram. Vamos à teoria:

Jesus era da Galileia. Na região onde nasceu, não operava milagres. Não porque preferia outras cidades, mas, sim, porque os nazarenos não tinham fé nele. Certa vez, em uma sinagora, ele deu a entender que era filho de Deus, deixando seus conterrâneos furiosos. Moisés havia ensinado: "não matarás", mas os fieis da sinagoga não pensaram duas vezes em atentar contra a vida de Jesus. Disseram (em adaptação livre, de minha parte): "este aí não é o carpinteiro, filho de José? Vamos atirá-lo do penhasco!"

Se quem dividiu o ocidente em AC e DC não era aceito em sua própria terra, quem sou eu para querer ser lido em Pato Branco. Não tem jeito, as pessoas vivem e morrem, mas os ditados permanecem.
.
Baseado em texto publicado no Café com Jornalista.
.

6 comentários:

Eiguel Ribeiro (publicitário) disse...

Meu amigo.. sei bem do que estah falando nesse ultimo post.. olhe bem.. na minha situação.. em Pato Bco.. cheguei a fazer ateh "estatua" (literalmente) enquanto em Dv.. continuo nao sendo reconhecido ateh mesmo por aquele q perdeu tres eleicoes.. e soh ganhou qndo aqui em seu mkt ajudei.. MIDAS.. nao eh soh minha empresa.. eh tbm um pseudonimo.. para q os daqui acreditem q seja "uma empresa q veio de fora", pois "santo de casa nao faz milagre!"

tais ac filha do rei disse...

realmente santo de casa nao faz milagre prova disso que omeu blog tambem nao tem muitos adeptos aqui em guarapuava

Kauana Maria Neves disse...

Ainda bem que eu faço parte dessa minoria do IP de Pato Branco, rs
Muito bom, ai se pode ver, como eu não estou totalmente errada em relação a esta cidade...

@jobonilha disse...

O meu IP maringaense está registrado como leitora!

O que importa é fazer milagres, não importa onde...

um beijo!!

Anônimo disse...

Bom, eu leio! Então, conte sempre com minha audiência, LF
@Adrianodanhoni

LF Cardoso disse...

Valeu pelas palavras de incentivo pessoal. É graças a isso que sigo motivado a escrever novas crônicas.

Quem está na cola do LF