1 de outubro de 2011

Vergonha no fundo do poço

.
Meu pouco tempo de vida – aos 30, ainda me considero jovem – e também de Maringá não me impedem de afirmar, com propriedade, que a Câmara Municipal viveu em 29 de setembro de 2011 o pior momento de sua história.

Para evitar a revogação de um artigo que restringe a construção de casas geminadas na cidade, o vereador John Alves (PMDB) tirou a camiseta durante a sessão e ameaçou baixar as calças se os colegas insistissem na votação da matéria. Indignados, alguns vereadores deixaram o plenário no ato e a sessão, sem quórum, teve de ser encerrada.

Um episódio vergonhoso, que me leva a refletir, na condição de assídio frequentador das sessões ordinárias (aquela foi ordinária no outro sentido da palavra), sobre o que há de podre por trás do dito artigo 39 a ponto de um vereador se despir para impedir sua revogação?

Semanas antes, a Câmara havia dado um bom exemplo, ao atender ao clamor da população e votar contra o aumento do número de cadeiras. O striptease diante de um plenário lotado – construtores e lojistas do setor marcaram presença para pressionar os vereadores – foi a prova cabal de que o Legislativo fez bem ao manter as 15 cadeiras. Por pressuposto, com mais vereadores o risco de ocorrerem baixarias como essa promovida por John seria maior.


John conseguiu o que queria. Interrompeu a votação e mostrou que ele só precisa falar grosso para a maioria baixar a cabeça e obedecer. Concordo que os vereadores ficaram constrangidos com o episódio, mas largar a sessão por conta disso foi covardia. Deixaram o plenário como cães acuados ao invés de partir pra cima de John, cobrar a saída dele e permanecer para votar a matéria após a bagunça.

Apenas cinco ficaram no plenário: Mário Hossokawa (PMDB), Manoel Sobrinho (PC do B), Mário Verri (PT), Humberto Henrique (PT) e Marly Silva (DEM). Não restou a eles muito mais do que se desculpar com os presentes e levantar suspeitas sobre as geminadas. Qual o tamanho do "bicho da goiaba"?

Um dos vereadores disse que pode recorrer ao Ministério Público para que o projeto seja investigado. Outro, falou que entrará com uma representação, o que pode culminar com a cassação do mandato de John. Quem foi àquela vergonhosa sessão, e ouso falar (escrever) em nome deles, não espera menos que isso.

Também me entristeceu, já na redação, escrevendo a matéria, a reportagem levada ao ar por uma emissora de TV. Em uma conclusão infeliz, o âncora (apresentador do telejornal) fez piadinha com o ocorrido. Uma situação séria como essa não se leva na brincadeira – pelo menos não em público. Alguém, por acaso, tem a ousadia de aplaudir um indivíduo que pisoteie a bandeira nacional?

A luta por um Estado democrático – e muitos pagaram pela liberdade com o próprio sangue – foi por isso? A mácula deixada no Legislativo maringaense não será esquecida por essa geração. Deixei a Câmara, naquela quinta-feira, com vergonha de ser eleitor em Maringá.

Versão completa do artigo publicado no jornal O Diário.
.

3 comentários:

Anônimo disse...

Luiz, sou pai de familia (esposa e um filho) e ex funcionário da prefeitura (08 anos que trabalhei lá) e tenho 33 anos e te digo. A prefeitura (ainda mais esta gestão) não tem escrupulos em f#* o povo para fazer suas tramóias. Imagine vc o que tem em jogo neste projeto que leva um cara a tirar a camisa pra lesar CLARAMANTE a possibilidade do pobre ter UMA casa própria. Os outros vereadores que sairam do plenario são mais covardes ainda, pois deviam ter votado, fizeram um jogo de cena. Tem muito angu atras deste caroço, não desista de investigar essa palhaçada. Digo pra vc que evito passar na frente da PMM, porque me sinto mal de ter trabalhado lá, pois sei que trabalhei contra o povo, pra cobrar impostos de gente humilde sem dó nem pena, tirando seus pertences e os mais abastados fazem seus esqueMas nos gabinetes..
É UMA PODRIDÃO, UM ESGOTO, não se iluda com o prefeito, a Camara, são cabide temporários de emprego de quatro anos, onde os funcionários de carreira tem que seguir as regras dos turistas (secretários e prefeitos) que vivem realidades diferentes do maringaense comum, como vc deve ser e eu me considero

Anônimo disse...

Nobre Jornalista Luiz, vá fundo na investigação dos motivos por trás desta lei imunda que você vai se deparar com um esquema feito para beneficiar políticos poderosos que resolveram ficar ainda mais ricos com a especulação imobiliária, utilizando como trampolim,a corrupção....

Anônimo disse...

Luiz, postei no dia 30/09...vc percebeu que o Mario e o Flavio já tão balançando..te deixo a indagação SERÁ QUE TEM MUITO INTERESSE NESTE TEMA (ironic)!?! Alguém explica porque não é bom casa geminada em Maringá...porque tem que fazer cadastro!?!?!qual o propósito disso?? a quem isso interessa!?! Deram dez dias pro Jhon (piada) jogo de cena)FALEI PRA VC...prefeitura,, Camara, os caras não tem escrupulo em rasgar o povo em nome de interesses escusos, É UMA FOSSA, UM ESGOTO A CEU ABERTO.. se não ficar de olho..votam numa sessão secreta e ninguém fica sabendo...
FICA VENDO E NÃO DESISTE...pergunta o PORQUE de fazer cadastro..porque tanto interesse em acabar com as geminadas!?!?!PERGUNTA ISSO PR PREFEITO...qual o argumento pra sustentar essa opnião!

Quem está na cola do LF