7 de julho de 2009

A turma da 6ª Série

.
Desde seu nascimento, em março de 1981, nunca antes Mortal envelhecera tão rápido como entre junho e julho de 2009: cinco anos em 30 dias. O ganho de idade não é biológico, evidente, mas sim metabólico. Aos 28 anos, o metabolismo de Mortal estava trabalhando como o de alguém de 37 – contra 32 do mês anterior –, ou seja, era capaz de engordar se bebesse muita água. Com algum exagero na expressão, sentia-se um idoso.

Taxa metabólica que é calculada por uma balança portátil, de chão, companheira inseparável da nutricionista que faz o acompanhamento dos funcionários do jornal – lógico, apenas de quem permite ser examinado, já que há aqueles (aquelas, geralmente) que têm fobia de balança e, no dia da avaliação, fogem da avaliação como o diabo foge da cruz.

A nutricionista digita a idade e a altura e o dono das medidas, sem calçado e sem meias, sobe na balança. Em alguns segundos, sabe-se peso, índice de massa corporal (IMC), percentual de gordura e muito mais que isso. "Posso ver aqui que você está bebendo pouco água", disse a nutricionista a Mortal, um dos primeiros dos colegas de redação a se submeter à avaliação naquele dia.

A profissional prosseguiu: "tua idade metabólica aumentou, o que houve, parou de praticar esportes?" Não apenas Mortal ficou pasmo com aquele equipamento, mas também alguns de seus colegas de redação. É certo que Mãe Diná não tem uma balança como aquela, do contrário não estaria errando tanto em suas previsões.

Mercúrio, o editor de Cultura do jornal, ficara indignado já da primeira vez que se passou por tal avaliação, meses antes. "Essa balança é mágica por acaso, como pode saber tudo isso?" Incrédulo, prosseguiu: "só acredito mesmo no resultado da minha pressão, que foi medida com aquele aparelhinho antigo".

Quem gostou do que viu foi Graciosa. A jovem repórter, que volta e meia surge na redação vestida de rosa – e que faz jus a seu nome –, submeteu-se à avaliação logo após Mortal. "Seu peso está bom... seu percentual de gordura está ótimo... tua massa magra, melhor ainda... você pratica esportes?", perguntou a nutricionista. Resumindo, Graciosa está boa demais, graças a seus metabolismo de 12 anos.

Ao retornar à redação, ela descobriu outros dois colegas com a mesma "idade": O Cara e Dzã-dzã-dzã. Todos os três são capazes de comer bacon com ovos no café da manhã, feijoada no almoço, uma caixa de bombons no jantar e, mesmo assim, por "culpa" do metabolismo acelerado de alguém na pré-adolescência, não engordar. "Nós três estamos na 6ª série", brincou O Cara. "Logo estraremos na puberdade", emendou Dzã-dzã-dzã. Graciosa apenas riu, enquanto redigia uma matéria.

O metabolismo acelerado parece ser o segredo de uma aparência jovial. O trio aparenta ter bem menos idade do que a certidão de nascimento relata. Dzã-dzã-dzã e Graciosa se aproximam dos 25, mas aparentam algo entre 18 e 20 anos. O Cara, que está em contagem regressiva para entrar na casa dos 30, parece ter 25. O mesmo pode-se dizer de OFFíssima, 27 anos, a repórter campeã em “levantamento de garfo”, que mesmo com a calórica dieta consegue manter um abdômen “0% de gordura” – no caso dela, culpa dos 16 anos metabólicos.

Exemplo maior de que metabolismo acelerado combate o envelhecimento precoce e evita rugas está na panificadora preferida de O Cara e de Mortal. Por lá, a atendente ruiva deixa qualquer um boquiaberto quando revela a idade: 36 anos, para corpinho e pele de, no máximo, 25. De três uma: ou toma banho no formol; ou dorme em uma câmara de gás, como fazia Michael Jackson; ou tem um metabolismo de locomotiva. A resposta parece óbvia, tanto que, desde a avaliação com a nutricionista e até a conclusão desta crônica, a turma da 6ª Série parece ainda mais jovem.
.

6 comentários:

Luna Caroline disse...

Se eu passasse por uma avaliação nesta balança certamente te acompanhatia, Lf. Estaria bem mais velha...
Comecei a fazer academia este mês e acredite: Ainda não consegui concluir um dia de atividades: ficobem fraca ..
Nos pesos com os braços consigo fazer -2. HEHEHEHEHEHHE

Desculpe-me a demora para voltar a escrever aqui, é a falta de tempo mesmo... porém sempre leio suas crônicas e gosto muito :)
Fico imaginando como deve ser bom trabalhar aí no jornal, pois seus colegas parecem ser muito camaradas!!!

Abração e SUCESSOOOO!!!!!!

Renatha Pierini disse...

ahhh esses metabolismos!!! Queria ter o metabolismo da Gisele Büdchen... Será que a nutricionista aí num dá uma forcinha? rsrsrs
Muito bom Fernando, como sempre!!!

Anônimo disse...

Olá, LF! Afinal, seu encanto com Graciosa tem alguma referência à Serra da Graciosa? E você, estourou a balança da nutricionista ou não? Bela crônica, parabéns!

Capitão (Pato Branco-PR)

tais ac filha do rei disse...

oi primo a turma da6ª serie é muito saldavel pelo visto a eu com uma saude dessas né e vc tambem né

Thiago Ramari disse...

Hahahaha. Muito boa a crônica LF.

E o que me deixa mais feliz nisso tudo é que ainda tenho, pelo menos na idade metabólica, seis anos a mais de sesta e sessão da tarde até virar adulto!

LF Cardoso disse...

Em resposta ao Capitão, com quem estudei Jornalismo... o encanto com a Graciosa é, sim, também, em analogia à serra. Ambas muito belas (rssss). Bom receber os comentários de um jornalista tão ocupado!

Quem está na cola do LF