20 de setembro de 2009

ZERO Açúcar


.
O terceiro sábado de agosto foi, particularmente, ímpar! Um dia de vitória da mente sobre o estômago, do autocontrole sobre a gula. O sábado que tantos guardam para Deus, marcou para mim o fim de uma abstinência de 30 dias sem açúcar, um período de flagelo contra o corpo – documentado no Twitter para quem quisesse acompanhar.

No mês em que abdiquei de sorvete, iogurte, chocolate e pão de mel – meus doces favoritos –, vi me abandonarem 2 quilos e 700 gramas. Sinal de que os outros 83 quilos, que permanecem comigo, são mais fiéis. Mantiveram-se leais a mim mesmo com a decisão abrupta de cortar o açúcar inclusive do cafezinho. Cortar o café com açúcar foi, aliás, o desafio mais torturante dessas três semanas.

Nos 30 dias mais longos de minha vida, a pergunta recorrente foi: "por que você está fazendo isso?" Quando alguém menos polido fazia a pergunta, mudavam as palavras, não o sentido: "Pra que essa viadagem de cortar o açúcar?" Difícil explicar.

Porque sim – seria a resposta mais apropriada ou menos cansativa. Contudo, essa não é uma justificativa que se dê, não a adultos. Se devo alguma explicação, que seja ela para aqueles que por curiosidade (ou loucura) acompanharam a saga nada doce, mas com final feliz, em minha página no microblog.

A primeira razão dessa abstinência, e talvez a única plausível, foi a perda de peso. Fiz o sacrifício – que alguns obesos se negariam a fazer, embora precisem – para comprovar que açúcar engorda e que, sendo assim, a falta dele emagrece. Dei um tempo nas atividades físicas, mantive a mesma alimentação, não cortei frituras nem gorduras, limitando-me à privação dos doces. Assim, se emagrecesse, a "culpa" seria da falta de açúcar. Foram quase 3 quilos e, como disse Patrícia de Cássia no Twitter, teria sido mais, casos os exercícios tivessem sido mantidos.

Com a privação "tuitada" dos doces, outra ideia era ampliar o número de seguidores no microblog. Confirmada a teoria de que, na internet, há público para tudo, a marca de 100 seguidores foi superada, perfazendo mais do que o dobro de um mês atrás. O terceiro motivo vai de encontro com o "Yes, we can!" do presidente norte-americano Barack Obama. Certa noite, na cozinha de minha casa, uma ex-namorada, fumante, observou que eu comia muito chocolate e que isso poderia fazer mal à minha saúde. Indignado por ouvir aquilo de alguém dada ao cigarro, exclamei:

Tábom, vou dar um tempo com o chocolate por um mês, mas quero ver tu fazer o mesmo e parar de fumar – disse, em tom de desafio. Fui além, cortei todo tipo de açúcar (sacarose), levando por três semanas a sofrível vida de um diabético. Experimentei alguns produtos diet, sempre dando graças a Deus pelo perfeito funcionamento de meu pâncreas.

A ex-namorada, não tornei a ver, mas alguma coisa me diz que ela não deixou de fumar, nem por um dia sequer. Sentindo-me vitorioso, e mais magro ao 30º dia, penso no doce gosto do triunfo. No domingo, quando eu – metodista – separo para agradecer a Deus por ter saúde e paz, terei meu momento de fé na companhia de um chocolate com avelãs, ou de um café irlandês com creme e borda de chocolate, ou de um sorvete de passas ao rum, ou um pão de mel com café expresso. Ou, ainda, na companhia de alguém que goste disso tudo e que possa tudo isso sem brigar com a balança. Atenção, alguém-que-gosta-disso-tudo, quero te conhecer melhor!
.

7 comentários:

Thiago Ramari disse...

Você foi persistente. Eu tenho certeza que não conseguiria fazer algo semelhante.

Anônimo disse...

hahahahha!
ri alto com "uma ex-namorada, fumante, observou que eu comia muito chocolate e que isso poderia fazer mal à minha saúde."
e é óbvio q eu não parei de fumar! se eu tivesse parado, em vez de perder, eu iria ganhar 3 quilos!!
pode continuar indignado! eu continuo achando q tu é chocólatra! (e isso é um péssimo vício, blergh! auhauahuaha)
e não vai se entupir de suflair agora hein! hheheuheueh
estou orgulhosa por ter conseguido aguentar um mês inteiro. ;D
bju, mocotó!

yngrid

Luana Caroline disse...

mazá Fernando!
Parabéns pela persistência,
preciso eu também de uma privação assim.
Para mim é muito difícil seguir alguns critérios de alimentação, que seriam necessários......

sucesso pra vc, tudo de bom!

Abração

Anônimo disse...

OI FER,JA VI VC HJ MAS NAO DEU PRA FALAR COM VC,EU ESTAVA APRESSADA.OLHA SÓ,ACOMPANHEI ESSES 30 DIAS SEM AÇUCAR DO SEU DESAFIO,SEI Q NAO FOI FACIL,AINDA MAIS PRA QUEM GSTA D CHOCOLATE CREMOSO,NÉ??ORGULHO D TER VC POR PERTO,GAROTO CORAJOSO E VALENTE.BJUS

Anônimo disse...

Olha só, no domingo após o almoço, deu aquela vontade de comer um docinho, então lembrei do pão de mel que ganhei do amigo-cronista-blogueiro e fui saborear na frente do PC. No meu caso, ligou o computador entrou no Orkut é já quase automático, eis que vejo que havia atualização no blog e fui ler. Coincidências à parte, a crônica falava justamente da abstinência do amigo ao açúcar durante 30 longos dias. Na hora, não estava muito inspirada para comentar... Hoje, ao receber a revista Veja, qual é a manchete? Pasme!!! Açúcar: Acharam o culpado... li partes da matéria, mas tudo indica que o queridinho de 10 entre 10 pessoas é o grande vilão da obesidade. Amigo... abstinência de açúcar, pão de mel, Revista Veja, sinto que tudo conspirou para o meu comentário.
hummmm e me aguarde... em breve vai poder saborear aquele magnífico pão de mel!!!
Andréa.

tais ac filha do rei disse...

oi primo o mais importante alem de tudo isso é agradecer a DEUS por vc ter conseguido e esperar alguem que goste disso e de DEUS tambem
e sabe primo tenho certeza que tem alguem que gosta de chocolate, açucar, café com creme. Deus e de vc

Anderson Henriques disse...

Estou há dois dias sem açúcar e estou a ponto de matar um...

Quem está na cola do LF