12 de fevereiro de 2009

O universo hiper-realista de Gabriel T.

.

Esta semana, uma amiga conhecida por alguns poucos como "OFFíssima" retornou ao trabalho, toda sorridente. Estava ela de férias, numa terra bem, bem distante: na ilha de LOST, aprendendo a surfar.

Não, a OFFíssima não estava no vôo 815 da Oceanic nem contracenou com Rodrigo Santoro, muito menos foi socorrida pelo doutor Jack Shephard. A colega repórter retornou, sim, de onde a famosa série foi gravada: Havaí (foto). Não sem antes, lá do meio do Oceano Pacífico, mais próximo do Japão do que dos Estados Unidos, enviar um cartão-postal endereçado ao amigo blogueiro (vai para a coleção).

O pessoal da redação é chique demais. Outra colega, a Traguetíssima - uma das maiores incentivadoras deste pobre blog - passou, sei lá, mais de uma semana em um cruzeiro pela costa brasileira. As férias de ambas me fizeram lembrar de um amigo que formou comigo a primeira dupla da Agência Experimental de Jornalismo da Faculdade de Pato Branco (Fadep), em 2002.

Loiro de cabelos cacheados, cerca de 1,80 metros de altura, Gabriel T. Comin - o 'T' é de um sobrenome polonês, daqueles com 20 consoantes para cada vogal - é um sonhador, culto e destemido, sujeito que no ditado popular: "mata a cobra e mostra o pau". Vou explicar.

Fui da primeira turma de Jornalismo da Fadep, o 20º acadêmico a receber o diploma da então nova instituição. Calouro da turma subsequente, Gabriel queria mais, queria ares mais cosmopolitas e menos provincianos. Dito e feito. Na metade final do curso, convenceu seus pais de que precisava se mudar para Curitiba, alegando que na capital do Estado teria mais oportunidades. Por lá, salvo engano, concluiu seus estudos em Jornalismo no final de 2005.

Gabriel se formou para, daí, aventurar-se em algo que eu gostaria de ter feito na época, e não fiz. O impulsivo estudante - que nos tempos de Fadep paquerou a belíssima filha do nobre diretor - guardou o canudo na estante para embarcar num cruzeiro, ou melhor, em vários.

Não foi a passeio. Sem grana como 99% dos estudantes recém-formados no Brasil, conseguiu descolar (por falar bem inglês e pela aparência a la Beckham) uma vaga de garçom em um grande navio. Enquanto os mais abastados desinchavam os bolsos no luxo do grande "barco", Gabriel ralava (a la operário chinês) não menos de dez horas por dia em um cruzeiro que, vejam só, tinha em seu itinerário os principais destinos turísticos do Mar Mediterrâneo. Dizem que ele chegou a enjoar do litoral da Espanha, da Itália, da França.

O rapaz natural de Coronel Vivida, uma pequena cidade do sudoeste do Paraná - onde os jovens mais "normais" parecem presos ao destino de se casar e passar a vida toda no mesmo emprego -, registrou a experiência em seu blog. No site, relembrou uma ocasião em que teve de pegar um avião até a ilha de Malta, de onde zarparia o navio. No voo, estraviaram a bagagem dele e, sem tempo de comprar o essencial, precisou de roupas emprestadas dos colegas garçons, inclusive de cuecas. Parece que a mala foi entregue alguns dias depois, só não sei se os amigos aceitaram as cuecas de volta.

Atualmente, Gabriel se define como "garçom de navio aposentado e jornalista nas horas vagas". Não sei por aonde ele anda, infelizmente, perdi contato. De qualquer forma, Gabriel deixou uma importante lição aos seus conhecidos e aos leitores de seu blog: os destemidos aproveitam melhor a vida do que os "normais" - e gastam menos dinheiro. Mesmo sem ter precisado de um boca-a-boca do dr. Shephard, OFFíssima (que já morou um ano nos Estados Unidos como intercambista) que o diga.

Errata!
O quinto parágrafo foi alterado onde mencionava que Gabriel se formou em Jornalismo na UFPR, enquanto na verdade ele se graduou na UnicenP (ver comentários). Agradeço a colega jornalista Aleta Dreves, professora universitária no Acre (e seguidora deste blog), pela correção.

.

11 comentários:

Aleta Dreves disse...

Salvo engano Luiz o único que foi para UFPR foi o Heliberton, o Gabriel se formou na UnicenP bjs

Luana Caroline disse...

Cheio de amigos "aventiureiros", LF!!!!
Gosto de histórias assim, e gostaria de ter coragem para essas coisas!

Abraço forte, sucesso pra vc!

LF Cardoso disse...

Uma correção pertinente apresentada pela colega jornalista Aleta Dreves, que se formou comigo. O Gabriel e seu colega Heliberton pediram tranferência para uma faculdade particular de Curitiba e só o Heliberton acabou, de fato, conseguindo transferência para a UFPR. Logo logo faço a alteração na postagem.

O Autor!

Anônimo disse...

Geeeeeeeente tô chique demais ... no blog do LF, hehehehehe. Fico lisonjeada por merecer um espaço aqui, ADOREI LF !!!! Você e suas crônicas são demais !!!!

Vanessa Bellei - a OFFíssima

Anônimo disse...

Olha, conheci neste momento um excelente biógrafo, vou pedir pra vc escrever a minha, hahahah, grande abraço amigo.

Anônimo disse...

Olha, conheci neste momento um excelente biógrafo, vou pedir pra vc escrever a minha, hahahah, grande abraço amigo.

Márcio da Silva
Dois Vizinhos - PR

Anônimo disse...

Já disse pra ti que li de madrugada a crônica, né?
fui dar uma voltinha pela casa para ver como estavam Mel e Baunilha e eis que tinha deixado o PC ligado... hummm e tinha mensagem offline pra mim. A mais curiosa já teve que ler às 3 da madrugada mesmo. Como estava grogue de tanto sono só consegui ler mesmo. Mas hoje passo por aqui para deixar um comentário e dizer mais uma vez: continue postando, seus textos são bons demais.
Foi um orgulho ter meu nome citado na crônica... claro que nem chego aos pés da OFFíssima chique. mas adorei!!!
beijos.
Andréa Tragueta

Titubeante Ululante disse...

LF!!

Quanto tempo, meu!!

Cara, adorei o seu texto sobre meu blog! Algumas vezes penso que toda a viagem que fiz foi um sonho (às vezes um pesadelo), mas é algo que me marcou e mudou muito. Sinto falta de tudo, até dos momentos difíceis. E dessa experiência tento tirar forças para seguir com alguns projetos mirabolantes.

O blog está parado mas vai voltar! Você vai ver! Eu aviso. =)

Cara, estou trabalhando na pauta da RPC em Curitiba... isso desde fevereiro de 2008, pouco depois de ter saído do navio. O fato de eu ter feito o programa de treinamento deles pouco depois de terminar a faculdade e mais essa maluquice do navio fez com que eles ficassem interessados... Bem, no fim das contas deu tudo certo!

Abraços!! Até!!

Vinicus disse...

Nota: 7

Vinicius Carvalho

Thiago Ramari disse...

Nota: 8,5

Thiago Ramari (por email)

Juliana Daibert disse...

Nota: 7,0

Juliana Daibert (por email)

Quem está na cola do LF